Tatuagens: Me risquei, e agora?

tattoo

Bom, como gosto de escrever sobre minhas opiniões aqui e não só sobre moda, tendências e futilidades diversas, decidi compartilhar uma decisão minha, me tatuar. Sempre tive vontade de me tatuar, mas quando mais nova meus pais não deixavam, e sou grata por isso, pois provavelmente teria feito alguma bobagem nas minhas fases mais rebeldes. Mas esse não é bem o motivo do post, queria dizer o que essas tattoos representam para mim e o que acho de pessoas tatuadas.

Comecei logo com duas, o que não quer dizer que daqui a uma semana estarei toda coberta, pode ser, e é bem provável que eu não passe desses desenhos. A cruz embora seja “simples” tem o maior significado para mim. Frequentei algumas igrejas e hoje simplesmente não me adapto muito bem, preciso trabalhar nisso e voltar, mas enquanto isso não acontece, eu sou sim uma pessoa de muita fé, muito comprometida com minhas promessas, orações, e em principalmente sempre fazer o bem, e ajudar os outros como puder. Acima de qualquer coisa sou movida à amor, e essa cruz representa isso. O amor mais puro que podemos conhecer, o amor de Jesus Cristo, que morreu na cruz por todos nós. Existe algo mais bonito que saber que sua vida hoje é baseada nesse fato? O problema é que as vezes esquecemos desse sacrifício, com os problemas do dia a dia, com a correria e também com a influência de pessoas que preferem fingir que são frutos do pó. Então pronto, a cruz é para sempre que eu estiver mal, lembrar que tudo passa, e que o propósito de Deus não falha, que preciso ser grata e seguir em frente, com força e fé.

A câmera, é meio óbvia, mais bonitinha e trabalhada, ela significa a minha personalidade, minha criatividade, minha paixão por fotografar e por manter ativo e cheio de memórias, esse blog. Tatuei coisas que com o tempo não vão deixar de ter significado para mim, e que não terei o menor problema em carregar o resto da vida no corpo, porque são coisas das quais me orgulho, e me fazem bem.

Agora sobre ser uma pessoa tatuada, sei que o preconceito ainda existe, em menos de uma semana já ouvi coisas desagradáveis e preconceituosas, mas que eu sabia que teria que lidar. A verdade é que vejo o corpo como uma tela branca, e que você pode ou não usar para estender seus gostos, mostrar sua personalidade, e também para deixar claro seu estilo, talvez mais alternativo, como considero o meu. Não acho bonito um corpo todo coberto, porque em alguns locais, vejo a tatuagem brigar com a sensualidade da mulher, com a roupa que você usará em certos eventos, e tudo mais. É preciso estar ciente que se suas atividades são mais tradicionais, você pode ter problemas, então pense bem, ou faça em locais discretos, porque por mais infundado que seja o preconceito, ele existe e pode te ferrar.

Sobre olhar alguém tatuado e considera-lo um marginal, meliante, etcs e etcs…pense bem, você pode ter um filho que goste e decida tomar essa decisão, e aí, lembre que outras pessoas estarão chamando-os dessas mesmas coisas. Respeite, e quem sabe daqui há um tempos as pessoas mudarão essa mentalidade, né?.

No final das contas, são apenas desenhos que não queriam ficar em papéis brancos, e ganharam vida.

Anúncios

6 comentários sobre “Tatuagens: Me risquei, e agora?

  1. Nanda disse:

    Adorei o post… concordo com tudo que vc citou…
    Apesar de ter feito minha primeira tatuagem aos 17, acho que a maturidade é essencial na hora de decidir o que fazer, onde fazer e se deve fazer principalmente .

    Curtir

  2. Nanda disse:

    Adorei o post… concordo com tudo que vc citou…
    Apesar de ter feito minha primeira tatuagem aos 17, acho que a maturidade é essencial na hora de decidir o que fazer, onde fazer e se deve fazer principalmente .
    bjs ;*

    ( digitei o e-mail errado no anterior.. rsrs)

    Curtir

    • É só minha opinião, não é em todo momento que fica legal expor as tatuagens. Não tô falando que é sempre e nem em todas as pessoas, apenas um parênteses de que em mim, eu não faria.

      Curtir

    • Eu não estou sustentando o preconceito. Estou apenas afirmando que ele existe, e acho um absurdo. Quanto a não gostar de um corpo todo riscado, é apenas questão de gosto, não é preconceito.

      Seria preconceito se eu falasse que pessoas tatuadas são menos capacitadas, menos esforçadas, que são marginais como a sociedade julga…Se eu tivesse ou concordasse com o preconceito, eu teria me tatuado? Acho que não, né?

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s